OPINIÃO

A Vida do Padeiro Artesanal – Um pequeno conselho para quem quer encarar a profissão.

Escrito por Rodrigo Gomes
11 de abril de 2017

Olá, para aqueles que não me conhecem, sou padeiro e as vezes proprietário da Pane&Salute, uma pequena padaria artesanal no Sul. Hoje eu e um assistente transformamos por mês 1,5t de farinha em pães. A minha caminhada até aqui, não foi nada fácil e ainda não é! Mas todo dia eu recebo e-mails e mensagens com pedidos de ajuda de padeiros já formados ou futuros padeiros que desejam fazer pães a moda antiga. Pretendo fazer uma série de textos para o blog, com o objetivo de esclarecer o que é ser padeiro, as dificuldades que você irá enfrentar e que ninguém conta, o que é real e o que é romantismo, o que funciona e o que não funciona, entre outras coisas a mais…

Apesar do título tratar de ‘Padeiro Artesanal’, eu não gosto de segregar e gostaria que todos fossem chamados apenas de Padeiros. Infelizmente o termo artesanal, se faz necessário para distinguir aqueles profissionais que buscam fazer pães com qualidade, saborosos e acima de tudo um alimento com valores nutricionais, sem usar as odiadas/adoradas pré-misturas e outros químicos em seus processos.

A vida de um padeiro artesanal, é árdua no seu dia-a-dia, mas isso faz parte da profissão. Sempre foi e sempre será. Reclamar ou até se gabar de acordar tão cedo, por exemplo, é besteira. Porque isso também faz parte…

Árduo mesmo é encarar a competição do mercado; a falta de incentivo; os altos custos da matéria-prima…

Árduos mesmo será a mágica que você precisará fazer para empregar qualidade, produzindo um “baixo volume” de pão (comparados com industrias ou padarias que vendem 2000 pães franceses “congelados” por dia.) sem que o seu produto fique a um preço inacessível ao consumidor. Por que pão tem que ser acessível.

Árduos mesmo será as comparações que serão feitas. Vai ter até quem diga que o seu pão 100% centeio, não é o certo, pois o pão de centeio que ele compra no mercado é clarinho e fofinho e o seu é pesado. Haverá falta de conhecimento dos seus próprios clientes sobre pães.

A lista é longa, mas isso tudo também faz parte…

Se você é ou quer ser um padeiro artesanal, você precisa entender que está fazendo parte de um novo capítulo da panificação brasileira. Não basta apenas fazer bons pães. Você terá que ajudar a espalhar uma nova cultura e conhecimento. Contar a história dos pães, como eles são feitos e porque são feitos assim. Que com farinha água e sal é possível fazer dezenas de pães diferentes, sim! Ajudar os seus clientes à entenderem o quanto você trabalha para entrega-los um pão de qualidade e assim ganhar o seu respeito e confiança.

A figura do PADEIRO(A) voltou. Há muito tempo esquecida, os clientes viraram clientes da PADARIA ou do MERCADINHO. O padeiro era alguém que estava atrás daquela porta, que ninguém sabia quem era e nem se importava. Agora padeiro tem nome e sobrenome. Por isso, baixa a cabeça e trabalha. Deixa a vontade de aparecer de lado e foca na missão. Porque se você está pesando em ser padeiro só porque está na moda, você não vai muito longe. Trabalhar com alimento é coisa séria. Ser padeiro é uma missão. É um DOM. Como já ouvi dizer: “Você não vira padeiro. Você nasce padeiro e não sabe.”

Um grande abraço e até a próxima!

AVISO LEGAL | DISCLAIMER Todas as OPINIÕES não expressam particularmente a opinião do MMB e/ou empresas associadas, mas tão somente de quem as escreveu/emitiu. Para maiores informações, consulte também Termos de Uso do MMB.


Massa Madre News


DIA

Dia Mundial do Pão
Uma crônica em homenagem ao pão
Eugênia Pickina

2019

Alimentação fora de casa 2019: 8 tendências para seu negócio
Massa Madre Blog

CURIOSIDADES

6 razões para escolher produtos orgânicos e encantar os clientes
Massa Madre Blog

COOKIES

Produtos de padaria: veja 4 itens que não podem faltar!
Massa Madre Blog

CURIOSIDADES

Afinal, quanto custa abrir uma padaria?
Quanto custa abrir uma padaria? Será que vale mesmo a pena investir nisso? A resposta para essas e outras perguntas você encontra neste artigo. Aproveite o conteúdo e boa leitura!
Massa Madre Blog