NEGOCIOS
PANIFICACAO
CONSUMO
EMPREENDEDORISMO
PADARIAS
CLIENTES
MARCIO RODRIGUES
KNOW HOW

Como os negócios de panificação podem investir em tendências de consumo para atrair o cliente para a loja

19 FEVEREIRO,2016

 

Segundo compilações do Instituto Tecnológico da Alimentação, Panificação e Confeitaria (ITPC), em 2015 as empresas do setor registraram crescimento de 2,7%, com o faturamento chegando a R$ 84,7 bilhões. O indicador é acompanhado por dado que revela perda de fluxo de clientes na casa de 4,2% – e mesmo o aumento do tíquete médio em 7,6% não foi suficiente para elevar os números do segmento. Para reverter esse cenário, governanças e empresários se voltam para as pesquisas de tendências e comportamento do cliente.

 

Dentre as tendências de maior destaque para 2016 estão o estímulo à compra de produtos ligados a saudabilidade e indulgência. Apurou-se que 30% dos consumidores compra produtos com apelo saudável e outros 70% optam pelos ligados ao prazer, a chamada indulgência ou “eu mereço”. Compreender esses nichos significa tornar as empresas de panificação mais preparadas para atender e fidelizar o cliente em seus variados momentos de compra.

 

Os formatos diferenciados de lojas também têm atraído o cliente, que de forma habitual ia à padaria todos os dias. Os atacarejos e as lojas de conveniência e vizinhança incitam o consumo pela estratégia de preço e comodidade, respectivamente. Analisando que esses perfis prezam basicamente pelo autosserviço, tendência que minimiza custos operacionais de atendimento e oportuniza compras de produtos de maior valor agregado – de maior preço e que dão identidade aos negócios de panificação.

 

Ainda segundo estudo do Instituto ITPC, os departamentos dentro das padarias que mais impactam no faturamento são os produtos de produção própria (58,4%), bebidas (9,4%) e mercearia (7,2%). É válido observar que boa parte dos clientes ainda vai à padaria em busca de produtos característicos, como pães e tortas confeitadas. Investir na qualidade e na apresentação, ressaltando os atributos de venda, e ao mesmo tempo oferecer mix variado significa fidelizar o consumidor e manter o ticket médio em constante crescimento – ainda que o preço baixo não seja seu principal chamariz.

 

Tendências de comportamento e consumo no varejo em 2016

 

1)      Reconhecer o cliente e suas necessidades

2)      Investir em marcas mais fortes, especialmente franquias

3)      Criação de mais produtos de produção e marca própria, com cooperação entre varejista e fornecedores.

4)      Fidelização e bonificação aos consumidores

5)      Valorização de produtos voltados à saudabilidade

6)      Aumento do consumo de produtos com apelo de indulgência – “eu mereço comer algo que me dê prazer”

7)      Crescimento de negócios entre fornecedores locais e próximos geograficamente

8)      Segmentação e gourmetização de produtos

9)      Formatos diferenciados de lojas

10)   Investir em tecnologias de comunicação e e-commerce

 

Fonte: Compilações Márcio Rodrigues & Associados baseadas em estudo publicado pela Agência Dexi, 2015 e estudos Nilsen, 2015



< ANTERIOR
VOCÊ VAI GOSTAR
PRÓXIMA >