Ronaldo Souza

Quem te inspirou?

A minha mãe D.Flor, quando fazia croissants para família.

 

Quando decidiu?

Quando fui convidado para uma temporada em São Paulo, e passei por todas as praças da cozinha, inclusive dos pães, me dediquei e descobri um universo instigante.

 

Como aprendeu?

Tive uma base em casa, fiz alguns cursos, me especializei, mas tentativa e no erro me fizeram realmente aprender e continuo aprendendo sempre.

 

Como define a sua cozinha?

 Versátil, intuitiva e guerrilha.

 

Quem é você fora da cozinha? 

Um cara de boa, que curte amigos e família, cozinheiro da galera e marido dela, (vide Raquel)!

 

Sabor da Infância?

Croissant.

 

É um sucesso por quê?

Não digo sucesso, mas o reconhecimento vem com muita dedicação.

 

Um prato?

Um prato não, mas todas as receitas do livro da minha avó D. Abigail.

 

Comer ou preparar?

Preparar e depois comer.

 

O que comeu e não esqueceu?

A ambrosia do Chico Doceiro.